sábado, 21 de novembro de 2009

18 Saudades de sua voz

Marcelo Min
A revista ÉPOCA deste sábado,traz uma reportagem com Odele Souza,mãe da menina Flávia,que vive em coma a quase 12 anos.
Flávia,como vocês já conhecem ,desde que eu postei a história dela aqui e alguns amigos tambem já conheciam,tinha dez anos quando teve seus cabelos sugados no ralo de uma piscina,e desde então,vive em coma.
Na emocionante reportagem,Eliane Brum diz:

Quando Odele sonha com a filha, Flavia tem 10 anos. A menina de cabelos longos, encaracolados nas pontas, fala sem pausas. Gosta de partilhar seu dia, contar as aventuras na escola, tagarelar sobre o futuro precocemente dividido entre uma carreira de administradora e outra de modelo. Abraça e beija muito. Dança, canta e toca teclado. Sua voz povoa o sono da mãe. Quando Odele acorda, porém, o silêncio continua lá.

Deitada na cama do quarto ao lado, Flavia tem os olhos abertos. Não pode mais falar e, embora possa ver, Odele não sabe se vê. A menina calou-se aos 10 anos, quando seu cabelo foi sugado pelo ralo da piscina do edifício onde vivia, em São Paulo. Em dezembro, no mesmo dia do aniversário da mãe, fará 22. Há quase 12 anos, Odele só ouve a voz da filha em sonhos. Agora é a mãe que parece se afogar ao despertar submersa na ausência da filha. “Ela tinha voz de sino”, diz. É dessa voz de sino que Odele sente mais saudade.

Assim se inicia cada dia. E cada dia em que Flavia não acorda é uma perda para Odele. Quem vai imaginar que a voz da filha, que às vezes perturba com sua premência, será um dia a maior saudade da mãe? Que aquelas histórias de criança, contadas quando falta tempo à mãe, seriam pagas com metade de uma vida ou uma vida inteira, se a mãe soubesse que poderia perdê-las?

É uma existência de subtrações e de delicadezas, a dessas duas mulheres. Só faz sentido porque Odele conseguiu fazer da história de dor também uma narrativa de amor.

Flavia abre os olhos durante o dia e os fecha à noite. No coma vígil, os olhos são vigilantes apenas na aparência. Não há consciência da dor ou do prazer. Flavia não se move, mas se sobressalta com ruídos mínimos e esboça sinais de sofrimento. Para os médicos, são apenas reflexos involuntários. Mas como ter certeza sobre quanto ela percebe? Sentiria Flavia, de algum modo, a presença da mãe, o toque da mãe, o amor da mãe? São perguntas que Odele Souza se faz, aos 60 anos. E responde “sim” a todas elas. Como não? [...]

A reportagem completa,LEIA AQUI.


18 comentários:

Giovanne disse...

Nossa cara,chorei lendo isso.. li tudo no site da revista,mais preferi comentar aqui.pois gosto muito desse blog,ele me emociona demais,pelo fato de ser em homenagem a Dani e por vc sempre postar tambem sobre outros casos que ficaram pendentes,como o dela,que a justiça não foi feita coisa nenhuma..
Fico muito triste ao ver uma história como essa... uma mãe querendo morrer depois da filha,isso é de cortar o coração,de gelar a alma..
que Deus tenha misericordia..

Pri disse...

Meus Deus,já havia lido esse caso,mais essa reportagem foi sufocante.. saudades de sua voz.. porque uma mãe tem que sofrer dessa forma,sentir saudade da voz da filha ? isso não deveria existir para uma mãe.. sonhar com a filha,e só vê-la em sonhos.. "Ela tinha voz de sino".. meu Deus,o que dizer ? sem palavras..

Renato disse...

Odele foi e é uma guerreira,

é um exemplo de força

de amor de mãe,

um amor incondicional,

que Deus as proteja,

Um beijo as duas;

Matheus disse...

São duas guerreiras,que Deus abençõe e faça sua vontade,para ele nada é impossivel,que a justiça seja feita afinal,que não termine impune como no caso da Dani,que os culpados sejam punidos,porque a vida desta menina não pode ser interrompida de graça dessa forma..

beijo as duas

Diego disse...

Li toda a reportagem e estou muito emocionado e sensibilizado com a história de Flávia,que eu ainda não conhecia !
Essas palavras massacram meu coração,me deixam sem chão,e ao mesmo tempo,consigo soltar um sorriso em frases como " Voz de sino".. é uma história de amor.. siga Odele,nessa sua luta,que na certa,será recompensada !

Isa disse...

Siga nessa sua luta mamãe Odele,Deus fará a justiça,quando não fazemos,lá na frente outro faz por nós,deixa,Deus faz por ti.. li tudo,e chorei,é impossivel não chorar lendo isso.. é cortante,desabei,meu dia acabou,ao saber que uma menina tem sua infancia e adolescencia roubadas e os culpados ficam impunes.

Duda disse...

Sou mãe,e essa reportagem me fez chorar e pensar muito,aonde vamos parar ?
Como uma menina inocente sai de maiô,e de toalhinha,para brincar e se divertir na piscina de seu prédio,e nunca mais volta ? como uma mãe é obrigada a ouvir uma frase da filha pela ultima vez ? saudades de sua voz.. ah Deus ! que dor que sinto,por tudo isso..

Odele e Flávia,meu carinho e orações,sempre.

Amanda disse...

Odele é um verdadeiro exemplo,li e chorei muito tambem,que Deus continue dando forças a ela,já admiro essa mulher guerreira,grande mulher,grande mãe.

Beijo as duas.

Paty disse...

Tive que lavar o rosto,respirar fundo e refletir antes de deixar esse comentário.Depois de ler uma reportagem dessas,o que dizer? eu me pergunto e não sei me responder.. o que dizer? força a mãe ? mais que força mais eu posso desejar a uma mãe dessas ? e como dizer JUSTIÇA,sabendo que nesse país isso não existe ?

sinceramente,não tenho palavras,fico indgnada,perplexa,muito angustiada.

Aline disse...

Como mãe eu não consigo não chorar,e não me indignar com esse caso da Flávia.. força mamãe ! muita força,li,chorei,levantei da cachoeira,para deixar um beijinho as duas,Odele e Flávia;

Beijinho Jéssica,minha pequena princesa,obrigada por esse exemplo que vc traz aqui nesse espaço lindo,Tia Lu.

Aline Paschoal disse...

Uma história de amor mesmo.. um amor inabalável.. chorei demais..

Anônimo disse...

Que Deus faça a justiça.coisa dificil nesse país. mais só ele é quem pode fazer,força a mãe Odele,beijos na Flávia..

Nathallya disse...

Dificil dizer alguma coisa depois de uma reportagem dessas,li tudo no site da revista e fiquei sem palavras,sem nada a dizer..

Bia disse...

Acho que nunca chorei tanto ao ler alguma coisa como chorei lendo essa reportagem,minha noite hoje não é mais a mesma,não quero mais sair de casa,hoje vou ficar apenas refletindo nessas voltas injustas que a vida dá.. o que dizer? realmente não tenho palavras.. só o silencio falará por mim..

Isabella disse...

Inaceitável.. na parte" Ao contrário de todas as outras mães,Odele tem medo de morrer antes de Flávia".. estou arrasada amiga,sem mais palavras..

Jéh - disse...

Fico arrasada com essa história desde que a conheci..a luta de Odele e Flávia corta meu coração,gela minha alma,e a impunidade que cerca o caso,é tão ridicula,que dá vontade de fazer as malas.
Chorei em cada palavra,cada palavra,uma lágrima.. "Dos meus olhos,saem cachoeiras,sete lagoas"...

Me deixa arrasada,perplexa..

sem mais palavras..

Beijo grande minhas queridas,Odele e Flávia..


Obrigada a todos os amigos pelos comentários carinhosos,por estarem aqui expressando sua indignação,sua revolta,seus sentimentos a essas duas guerreiras .

Maria Cecilia disse...

Duas guerreiras mesmo,lindas !

chorei lendo,meus sentimentos,por tudo,pela luta,pela fé,pelas lágrimas que essa mãe concerteza derrama..

Claudinha disse...

Nossa Jé,chorei muiito ! é de arrasar com o coração mesmo... que injustiça .. muito triste tudo isso.. são duas guerreiras..